#CaminhosDoAgro: Cooperativas

Por Evelyn Gomes

Durante o especial Caminhos do Agro, nós da CBC Agronegócios, já falamos sobre modalidades de transportes, veículos e até mesmo sobre maquinários que são de suma importância para o bom andamento de toda a cadeia do agro, no entanto, é importante entender outros braços que contribuem diretamente em todas as etapas como é o caso das cooperativas.

De acordo com levantamento da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) realizado no ano passado, no Brasil existem mais de 5314 cooperativas sendo 1223 delas do setor agrícola que empregam no total um número superior a 207 mil trabalhadores ao redor do país. O cooperativismo representa 50% do PIB (Produto Interno Bruto) agrícola, e segundo dados do Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) quase metade de tudo que é nacionalmente produzido passa por alguma cooperativa.

Mas, afinal o que é cooperativismo agrícola? Ele consiste em uma sociedade de agricultores que tem como objetivo dividir de modo igualitário não apenas os lucros como também as responsabilidades dos processos que envolvem toda a cadeia produtiva desde o cultivo até a exportação. Em geral, ela beneficia pequenos agricultores que encontram dificuldades no acesso a suprimentos e a mercados competitivos onde as grandes companhias levam vantagem.

Esse acesso diminui riscos que estão relacionados ao crescimento das safras e a sustentabilidades dos negócios já que negociações com algumas grandes empresas podem tornarem os pequenos produtores insustentáveis pelos preços praticados que são capazes de diminuírem drasticamente as margens de lucro e até mesmo trazerem prejuízos financeiros o que no médio e longo prazo podem acarretar a falência ou o encerramento das atividades. Além desses benefícios, outro ponto que faz com produtores recorram às cooperativas é o sistema de gestão justo e democrático.

Apesar de terem apresentado um faturamento de aproximadamente R$ 239,2 bilhões em 2021 com um crescimento estimado em 30,50% comparado com anos anteriores como consta no Anuário do Cooperativismo da OCB e a sua eficiência ter sido capaz de diminuir em 4% os custos do agronegócio como um todo é preciso levar em consideração que esse tipo de negócio não é orientado pela maximização dos lucros e que eles podem flutuar durante o ano.

Inclusive os lucros são pagos com base na participação, ou seja, todos os membros devem trabalhar em prol de um objetivo comum e em sintonia para que a distribuição seja proporcional. Outro tema que envolve a participação dos membros é a escolha dos representantes já que não há interferência externa e apenas os integrantes daquela cooperativa votam na escolha dos gestores e/ou diretores de modo democrático.

Participar de uma cooperativa também te dá acesso a serviços como assessorias técnicas em diversas frentes que são capazes de orientar desde o início do negócio, a entender e solucionar problemas existentes e até mesmo prever futuros imprevistos, além das assessorias existem serviços especializados sobretudo quando o assunto é terceirização da mão de obra e escoamento das safras.

Outro tema de interesse é em relação aos direitos trabalhistas já que aos produtores que cumprem corretamente suas obrigações está facilitado o acesso a certificações agrícolas nacionais e internacionais enquanto aos trabalhadores lhes estão assegurados todos os benefícios de um trabalhador com regime CLT como o recolhimento de INSS, FGTS, 13 salário além de assistência educacional e médica enquanto sua remuneração é calculada segundo os serviços prestados.

Contem para a gente, o que acham das cooperativas? Participam de alguma?  

Categorias: