É possível prevenir e controlar pragas?

Por Evelyn Gomes

Nós da CBC Agronegócios estamos sempre preocupados com todos os temas que impactam a cadeia do nosso setor, sabemos que para que vocês possam realizar a conexão e a negociação dos seus produtos dentro da nossa plataforma é preciso que todas as etapas anteriores desde o cultivo até a colheita tenham tido sucesso.

E, para isso trazemos mais um tema de suma importância no manejo de culturas, as pragas, que impactam diretamente a produtividade, qualidade e consequentemente o faturamento. No post de hoje vamos explicar o que são as pragas, quais as mais comuns e se é possível realizar a prevenção e controle delas.

As pragas podem ser causadas por insetos, fungos, ácaros e pulgões que se proliferam nas áreas de cultivo, no entanto, para esses organismos vivos serem classificados dessa maneira eles precisam ter uma população grande que seja capaz de trazer prejuízos econômicos a cultura.

O aparecimento de insetos, por exemplo, pode ter como uma das principais causas a falta de biodiversidade em grandes áreas cujo cultivo é de apenas um tipo de produto. Outro fator que pode facilitar o surgimento e a perpetuação desse problema é a falta de tempo hábil para a decomposição de restos vegetais entre uma safra e outra como acontece no plantio de soja, isso acontece, porque na maior parte das regiões agrícolas brasileiras são realizadas diferentes culturas no verão e no inverno.

A ausência de inimigos naturais nessas culturas é o que propicia o aumento dessa população de pragas quando as culturas hospedeiras são inseridas. Aliais, fatores climáticos como tempo e umidade não apenas contribuem para que organismos se transformem em pragas, é o que acontece no caso de ácaros e pulgões já os insetos têm seus ciclos reprodutivos e de vida acelerados em períodos muito quentes e úmidos além de beneficiar o aparecimento de doenças de plantas.

Antes de destrincharmos as principais pragas, precisamos falar sobre as formas de controle que geralmente são as mais utilizadas por produtores que desejam manter a sua produtividade. A base para o sucesso na prevenção e controle do aparecimento de pragas deve ser estudado e realizado antes mesmo da semeadura a partir do monitoramento das áreas incluindo o levantamento de incidências dessas infestações e que podem envolver diferentes métodos manejo em conjunto que podem ser otimizados pela utilização do MIP e do MID (Manejo Integrado de Pragas e Doenças).

O Controle Legislativo se utiliza de instruções normativas e leis que tem como objetivo evitar a introdução dessas pragas ainda mais quando os vegetais são movidos de um a outro, nesses casos são necessárias a inspeção e monitoramento durante um período de quarentena e se identificadas possíveis contaminações nos materiais, eles são destruídos.

O Controle Genético é considerado um dos métodos mais baratos e eficazes de controle aplicados em grandes áreas de cultivo, entretanto essa técnica requer o uso de outras para quebrar a resistência das pragas ao material.

O Controle Biológico compreende a inserção em massa de organismos benéficos às plantas e inimigos naturais das pragas. Esse material geralmente já está disponível nos locais de plantio naturalmente, porém em menor densidade. Alguns pontos na utilização deles devem ser destacados como o seguimento das instruções fornecidas pelos fabricantes além da compatibilidade desses produtos de controle com outros serão usados na lavoura.

O Controle Químico muitas vezes é utilizado em conjunto com o controle biológico, e ele consiste no uso de produtos fitossanitários que devem ter registro no MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) que indiquem a destinação da cultura e seu manejo deve seguir as boas práticas agronômicas. Um ponto importante é estar atento a rotação das culturas e aos ingredientes ativos desses produtos.

Há ainda outras diversas formas de controle disponíveis no mercado que precisam de um aprofundamento maior, contudo ainda falta mencionarmos quais são as principais pragas e quais são as culturas nas quais elas têm maior incidência.

  • Lagarta do Cartucho (Spodoptera frugiperda): presente no plantio de soja, algodão, arroz, sorgo, trigo, aveia, cana-de-açúcar, feijão, cevada, centio e entre outras;
  • Percevejo-marrom (Euschistus heros): presente principalmente na soja, porém também aparece em algodão e pastagens.
  • Lagarta Helicoverpa (Helicoverpa armigera): Aparece em culturas como feijão, soja, milho, algodão, café, citros e outros.
  • Corós: é uma praga de solosque pode estar presente em qualquer momento do plantio.
  • Pulgões (Afídeos): podem afetar várias espécies de plantas além de culturas como soja e cereais de inverno.

Há ainda centenas de outras espécies de pragas para estarem atentos.

Contem para a gente se sabiam todas essas informações e se querem que nos aprofundemos no tema!

Categorias: