Nova linha de crédito para Pequenos e Médios Produtores de Alimentos

Por Evelyn Gomes

Essa é uma boa notícia para quem está pleiteando um crédito para melhorar sua estrutura, aumentar sua capacidade produtiva ou então desafogar das contas saiba que o governo federal pretende criar uma nova linha de crédito com taxas de juros mais baixos dentro do Plano Safra para esses pequenos e  médios agricultores que produzem alimentos para o mercado interno.

De acordo com o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, os valores dos financiamentos e o tamanho da taxa de redução dos juros terão que ser subsidiados pelo governo federal, a proposta que está em negociação com os ministros da Fazenda e Agricultura no momento deve ser levada até o Presidente Lula no final do mês e já lançada em maio.

Essa proposta é uma resposta a um pedido feito pelo Presidente Lula para os ministros Carlos Fávaro e Teixeira para que encontrassem uma forma de beneficiar o produtor médio que em geral fica de fora das políticas voltadas ao Agronegócio, em especial aquelas destinadas à exportação bem como o agricultor familiar cujas produções são muito menores e destinadas ao público local.

Inclusive essa oportunidade também é uma alternativa encontrada pela atual gestão em aumentar o volume da produção de alimentos para o mercado nacional estimulando com juros mais baixos a plantação de hortaliças, frutas, feijão, mandioca e ovos, segundo o ministro Teixeira em declaração para a Agência de Notícias Reuters. Como falamos em posts anteriores, essa nova modalidade de financiamento também pode auxiliar na retomada dos estoques de alimentos.

Enquanto esse projeto não sai do papel, temos os valores desembolsados pelo Governo Federal para o Plano Safra 2022/2023 que alcançou a marca de R$ 267, 5 bilhões entre o período de Julho/22 e Março/23. Os financiamentos de custeio tiveram aplicação de R$ 160 bilhões enquanto as contratações de linhas de investimento totalizaram mais de R$ 72, 7 bilhões, já as operações de comercialização atingiram R$ 21,7 bilhões e as de industrialização, R$ 13 bilhões.

Conforme a análise da Secretaria de Política Agrícola do MAPA (Ministério da Agricultura e Pecuária) foram realizados ao todo 1.473.837 contratos nesses 9 meses, 1.069.287 do Pronaf e os 167.745 correspondentes ao Pronamp. 

Os pequenos e médios produtores correspondem apenas as somas de R$ 43 bilhões no Pronaf e R$ 40 bilhões no Pronamp juntando todas as finalidades (custeio, investimentos, comercialização e industrialização), enquanto outros produtores formalizaram 236.806 contratos totalizando R$ 185 bilhões contraídos em instituições financeiras.

O que vocês acham dessa nova oportunidade de crédito? O quanto isso vai impactar o seu negócio?

Categorias: