O Agro também é acessível

Por Evelyn Gomes 

Nesse feriado nacional que celebra o dia da Independência do Brasil também gostaríamos de comemorar uma vitória para produtores rurais, a independência daqueles trabalhadores rurais deficientes físicos já que o primeiro trator acessível a deficientes físicos começa a ser vendido no Brasil.

Em nosso país existem cerca de 17,3 milhões de pessoas com mais de dois anos de idade com algum tipo de deficiência, esse número representa 8,4% da população brasileira, desse montante são 7,8 milhões cuja deficiência física se encontra em membros inferiores segundo informações da última PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) de 2019 realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Quando o assunto é o agronegócio, temos mais de 2,9 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência física e que reside no campo pensando nisso a marca New Holland no último 14 de agosto o primeiro trator agrícola acessível do mundo produzido por uma montadora, modelo destinado a pessoas com deficiência motora nos membros inferiores. 

Como uma marca full-liner, em outras palavras, tem um portfólio que atende a todas às necessidades do pequeno, médio e/ou grande agricultor, essa nova máquina representará a inclusão desses trabalhadores que possuem várias habilidades dando-lhes autonomia para realizar suas tarefas diárias por conta própria. E o melhor, a fabricação desse veículo é realizada em território nacional, mais especificamente na cidade de Curitiba, capital paranaense. 

Esse trator TL5 Acessível conta com uma plataforma de elevação além de um joystick com o qual o operador comanda os movimentos necessários para realizar o embarque ou desembarque sozinho com o acesso ao assento do operador e comandos da máquina para facilitar as operações, outra grande vantagem dessa máquina é que ela pode ser utilizada também por pessoas sem dificuldades de mobilidade. 

Para que fosse viabilizado o desenvolvimento de tratores acessíveis, a New Holland entrou no programa Rota 2030 que consiste em uma linha de financiamento do governo federal, tendo sido a maior parte dos custos absorvida pela União. O projeto também contou com a parceria da empresa de mobilidade inclusiva Elevittá além da Arteprima e o Senai de São Leopoldo (RS) para o desenvolvimento desse projeto, que começou a ser pensado em 2018, apresentado e testado entre 2021 e 2023.

No entanto, esse não é o primeiro produto acessível da marca já que eles já contam com a retroescavadeira acessível na sua gama de produtos, e a New Holland pretende seguir expandindo na linha de máquinas e equipamentos acessíveis tendo colocado um investimento de pesquisa esse ano de R$ 5 milhões especificamente para esse projeto. 

A marca também tem feito um movimento junto ao governo federal para que hajam juros e condições diferenciadas dentro do Plano Safra para esse tipo de maquinário já que atualmente os juros do financiamento ficam na casa dos 9% anuais e o equipamento pode variar de valor dependendo do estado da compra e das condições de cada banco, no entanto, ele inicia em R$ 310 mil. 

E, você produtor, o que acha desse novo equipamento e da iniciativa? Conta pra gente!

Categorias: