Por que a água é um desafio para o agronegócio?

Por Evelyn Gomes

Nós já falamos por aqui, no blog da CBC Agronegócios, sobre temas relacionados a sustentabilidade, e hoje vamos retomar um pouco o tema tratando de um assunto que ainda é considerado polêmico, o uso da água no agro. O setor é considerado um vilão no quesito consumo de água.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), 70% de todo o consumo de água no mundo é realizado pela atividade da agropecuária, no caso de países como o Brasil que tem boa parte da economia baseada no setor, essa porcentagem aumenta para 72%. Enquanto outros setores da economia como a indústria corroboram com 22% dos recursos hídricos enquanto o uso doméstico figura apenas com 8% do total.

Se descontarmos o consumo direto dentro das atividades econômicas e focarmos apenas na destinação de água exclusivamente para a produção, o que é chamado de água virtual, os números são alterados para as seguintes porcentagens 67% na agricultura, 23% no cultivo de animais e 10% pela indústria. E, por que esses números são importantes?

É a partir deles que conseguimos ter dimensão do consumo de água e tomar medidas que diminuam não somente o desperdício desse recurso que é finito, como também alcançar economias financeiras. Para se ter uma real compreensão do que estamos falando, basta se atentar a alguns produtos como a soja, uma das nossas maiores commodities, que precisa de 1,8 mil litros de água para produzir 1 quilo do grão, já a produção de um quilograma de carne consome 15,4 mil litros enquanto uma camiseta de algodão gasta 2,5 mil litros.

O levantamento da FAO aponta que 60% do consumo de água na agricultura é empregado na irrigação e que ela acaba sendo não aproveitada posteriormente, ainda segundo esse braço da Organização das Nações Unidas (ONU) reduzir o gasto de água em 10% dessa perda, a quantidade já seria suficiente para abastecer o dobro da população mundial. E como reduzir o consumo sem atrapalhar a capacidade produtiva? Afinal, já sabemos que a demanda mundial por alimentos tem aumentado ano após ano.

Técnicas como o gotejamento no lugar da irrigação seria uma boa alternativa, já que as gotas seriam responsáveis por umedecer o solo e pode ser feito de maneira bem simples, utilizando até mesmo tubos de irrigação com furos. Outras técnicas simples seriam a captação de água da chuva que pode ser utilizada para diversos fins como o abastecimento de reservatórios, hidratar animais do rebanho e até mesmo auxiliar no crescimento das culturas em cultivo, no entanto, é necessário um projeto que compreenda os melhores locais de implementação.

Investimento em bebedouros além de uma maneira de reduzir o consumo para a hidratação do rebanho ainda pode se utilizar da captação da água da chuva necessitando apenas que a sua estrutura garanta a integridade do líquido. A instalação de hidrômetros não é apenas importante na diminuição do uso da água como também no planejamento de toda a cultura já que esse consumo pode variar de acordo com as estações do ano e/ou até mensalmente.

Sobre a última dica já falamos por aqui, a rotação de cultura, por meio dela o solo fica estável o que garante uma absorção melhor de nutrientes e uma diminuição no aparecimento de pragas e insetos, uma maior resistência a mudanças climáticas e claro uma capacidade maior de infiltração de água.

Contem para a gente, quais dessas medidas vocês usam para diminuir o consumo de água? Tem alguma outra sugestão?

Categorias:

Palavras-chave: