Você sabia que o crescimento da sua empresa pode estar ligado ao seu tipo de marca?

Por Evelyn Gomes

Na semana passada, nós da CBC Agronegócios falamos sobre o que é o Branding e a importância dele no sucesso do seu negócio independente do público-alvo e do produto que você comercializa. Engana-se quem acredita que estruturar o marketing da sua marca seja apenas para grandes empresas e/ou produtos conhecidos.

Por esse motivo, é importante sempre estar atento as novidades do seu setor e de ramos adjacentes e seguir na busca na melhoria dos produtos, processos e na inovação continua. Quem nos segue pelas redes sociais @cbcagronegócios já pode notar algumas pequenas pistas cujas novidades vamos lançar em breve. E para seguir no assunto marca, hoje vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre o tema.

Se você já tem uma marca e acredita que ela não está comunicando bem com a sua gama de produtos e serviços ou então quer expandir seus ingressos financeiros lançando novos itens e, no entanto, não quer renunciar ao respaldo e prestígio que a marca atual confere não se preocupe há formas de fazê-lo associando as marcas ou até mesmo fazendo uma separação entre elas.

No post anterior comentamos brevemente sobre a arquitetura de marca e quais são as derivações dela, e antes de nos aprofundarmos no tema é importante entender qual é o tipo de crescimento que estamos esperando para o nosso produto porque a definição desse tópico nos ajuda a fazer uma escolha certeira.

Se você busca ser apenas autoridade no agronegócio ou em outro ramo de atuação e que seus produtos e/ou serviços são escalados dentro da mesma linha não vislumbrando a expansão para outros segmentos o modelo arquitetura de marca monolítico é o indicado. Lembrando que o modelo monolítico é aquele que utiliza o logotipo da marca mãe com poucas diferenciações que podem ser apenas cores ou detalhes menores para facilitar a identificação.

Entretanto, se a ideia é crescer horizontalmente, ou seja, expandir a gama de produtos e atingir novos mercados reduzindo o espaço dos concorrentes a escolha ideal da arquitetura de marca é a independente já que as marcas subsidiárias não têm a necessidade e obrigação de serem diretamente ligadas a marca mãe. Isso acontece na marcas-filho independentes onde todo o branding é novo e que não apresenta nenhuma similaridade com a marca mãe o que pode ser uma estratégia para quem quer testar novos nichos de mercado e produtos sem arriscar o histórico e boa reputação da marca principal.

Agora se você ainda não tem certeza de qual crescimento você está buscando e quer mesclar autoridade e ainda testar novos mercados, a escolha da arquitetura endossada pode ser uma boa escolha já que apesar da dependência da marca mãe ela apresenta apenas detalhes que que a lembrem já que seus produtos e serviços apresentam sinergia entre as marcas e os segmentos de atuação.

Para realizar as mudanças na marca é importante consultar além dos setores de marketing, mas também os setores de venda, fornecedores, clientes e até mesmo colaboradores estratégicos que sofrerão impacto com as alterações. E, se você não tem um setor dedicado a isso, pode buscar profissionais especializados em Branding para te auxiliar nessa missão.

Contem para a gente, gostariam de ler mais conteúdos sobre marketing?

Categorias: