O Agronegócio em 2022: o balanço

Por Evelyn Gomes

Chegamos a última semana de 2022, por esse motivo, nós da CBC Agronegócios queremos fazer um balanço do nosso setor na tentativa de condensar as informações mais importantes do Agronegócio e com esses dados vislumbrar um cenário para o ano de 2023.

O PIB do agronegócio nesse 2022 tende a fechar em queda de 4,1% depois de haver registrado recordes sucessivos em 2020 e 2021, esse resultado pode ser considerado fruto da forte alta dos custos relacionados a insumos no setor, especialmente os defensivos e fertilizantes que foram diretamente impactados pelo conflito armado entre Rússia e Ucrânia, e que foi capaz de acrescer os preços em até 100%.

Com uma previsão inicial de produção de 291 milhões de toneladas para a safra de grãos 2021-2022, realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) em dezembro passado, viu suas expectativas frustradas ao fechar o mês de setembro deste ano com 271 milhões de toneladas. O fenômeno La Niña de alta intensidade também teve sua parcela de culpa prejudicando a produção, principalmente, nos estados de Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, sem contar nas enchentes ocorridas em Minas Gerais, Bahia e outros estados nordestinos.

Segundo Bruno Lucchi, diretor técnico da CNA, o prejuízo estimado foi de R$ 83 bilhões levando em consideração apenas as culturas de soja e milho que viram suas cadeias de produção sofrerem elevação de custos em até 40% juntamente com outros itens como arroz, milho, soja e trigo. A pecuária, por sua vez, também não ficou imune aos aumentos que foram encontrados nas rações e na suplementação mineral.

Quando o assunto é a suinocultura vemos um setor em crise e não por questões relacionadas a produção, já que tivemos uma grande produção nacional, mas sim pela retração do consumo mundial desses produtos. E, como nem tudo são más notícias, há espaço para comemorar a balança comercial brasileira onde o agronegócio foi responsável por 48% das exportações brasileiras acumulando R$ 148,3 bilhões entre os meses de janeiro e novembro, um crescimento de 23,1% em comparação com 2021, tendo como principais produtos a soja em grãos, carne bovina, farelo de soja e o açúcar bruto.

Enquanto as importações somaram R$ 15,8 bilhões cujos produtos de destaque foram papel, óleo de palma, salmão fresco e malte. Outro motivo para celebração do agronegócio são as aberturas comerciais conquistadas em 2022, ao todo foram 49 aberturas de mercado além do primeiro acordo comercial fechado entre Mercosul e Ásia onde foi concluído o acordo das negociações com Singapura. De acordo com as palavras de Sueme Mori, diretora de relações internacionais da CNA, Singapura é um mercado significativo apesar de não ser muito grande.

Com a virada do ano se aproximando, ficamos na expectativa das projeções de 2023, que será tema do nosso próximo post aqui no blog. Enquanto isso, contem para a gente o que acharam desse balanço de 2022? E o que esperam para o próximo ano?

Categorias: