O Metaverso também é Agro

Por Evelyn Gomes

Nós da CBC Agronegócios somos aficionados pelo tema tecnologia afinal ela faz parte do nosso DNA como Startup, já falamos em diversas ocasiões anteriores como as Agtechs tem revolucionado o mercado através de soluções que simplificam as tarefas diárias, bem como o poder da conectividade e como o 5G vai ser capaz de integrar ainda mais o campo ou até mesmo transformar grandes arranha-céus em fazendas verticais.

E a novidade do momento é a chegada do Metaverso ao agronegócio brasileiro, esse nome e conceito não é estranho para os amantes de tecnologia, porém a primeiro momento pode parecer complexo, no entanto, ele é um ambiente virtual que simula a realidade criando um ambiente de encontros, debates, e compartilhamento de experiências e atividades em tempo real. Nele, é possível inclusivo a criação de avatares, e ambientes e situações que espelham a realidade afim de entretenimento e/ou didáticos. O metaverso faz parte de uma tendência vivenciada pelo mundo empresarial chamado de gameficação.

O Brasil Agriland tem a sua estreia data já para o próximo mês, janeiro de 2023, será o primeiro Metaverso setorial do agronegócio nacional cujas experiencias poderão ser desfrutadas por 10 cadeias produtivas divididas desde a produção ao consumo que terão as associações setoriais como anfitriãs de sua respectiva cadeia onde serão apresentados conteúdos e temáticas de acordo com o segmento proporcionando a integração com o consumidor e impactando a experiência de compra.

Contudo, não é apenas as vendas que o Metaverso e a gameficação tem impactado, jogos virtuais e conceitos aplicados neles têm sido muito utilizados para o aprimoramento de conhecimentos na produção e até mesmo nos processos de recrutamento e treinamento. A gameficação que foi vista como uma alternativa para aprendizagem de novos colaboradores e engajamento de equipes no período pandêmico, hoje é visto como inovação e inclusive oportunidade de negócio.

E, a seguir vamos mostrar quais são esses os recursos de gameficação mais utilizados atualmente e que provavelmente você já deve ter tido acesso a ao menos um deles:

  • Aprendizagem imersiva: através da junção de vários aparatos tecnológicos é possível contribuir para uma experiência de aprendizado interdisciplinar seja com o uso de consoles e servidores tradicionais ou simuladores de realidade virtual e/ou aumentada que são capazes de criarem cenários e estímulos de engajamento e atenção.
  • Cursos online: esse tipo de experiência já é de amplo conhecimento e que pode ser criado e distribuído em diversos formatos como tutoriais, podcasts, vídeo-aulas, ebooks, infográficos e outros, que poderão ser escolhidos a partir da escolha da abordagem a ser utilizada e o nível de aprofundamento no tema.
  • Jogos educacionais: apesar de mencionado já na aprendizagem imersiva, os jogos educacionais têm técnicas que estimulam a atração, o engajamento, a retenção e a aprendizagem dos colaboradores que respondem com melhores graus de interação que podem inclusive conter rankings de tarefas e premiações de acordo com os níveis de responsabilidade.
  • Comunicação educacional: a gameficação nesse caso pode auxiliar na quantificação e qualificação dos resultados, isso é, da forma como os resultados são medidos e os resultados obtidos através deles. Com esses dados em mãos, é possível a criação de estratégias de comunicação e de veiculação para engajar os usuários no uso dos games.

O que vocês acham do Metaverso e a gameficação? Contem para a gente se já utilizaram essas ferramentas!

Categorias: